10 de novembro de 2016

Gilmore Girls: “UM ANO PARA RECORDAR”

Um mês de ansiedade para quem foi e ainda é fã de Gilmore Girls. E a Netflix lançou o primeiro trailer oficial de "Um Ano para Recordar", o revival em quatro partes que será lançado mundialmente no dia 25 de novembro.


E claro, adoro lembrar os livros de Rory ...

 

Para quem gosta de detalhes, o site Gilmore Girls fez uma analise detalhada sobre este primeiro vídeo. Altamente recomendável para aliviar a espera ;)

Enquanto isso, vale relembrar que as moças Gilmore são as maiores representantes dos amantes/viciados em café e não há um episódio que isso não seja deixado bem claro rsrs.

23 momentos em que Lorelai representou os amantes de Café :)

2016

Este ano.
Este ano eu quis morrer.
Quis que me matassem.
Este ano eu quis rezar,
implorar que me ressuscitassem.
Este ano eu quis matar,
com requintes de crueldade.
Este ano eu não acreditei,
tamanha crueldade.
Este eu exaltei,
a vontade de liberdade.
Este ano eu acreditei,
que nosso amor era de verdade,
Este ano eu apostei,
isso era uma adversidade.
Este ano eu pensei:
Talvez fosse uma dificuldade.
Este ano eu apostei:
Pode ser uma adversidade.
Este ano eu acreditei:
Isso é uma verdade.

Este ano.
Este ano.

Eu terminarei....

Sonhando com a felicidade.

3 de setembro de 2016

DNA pode determinar quantidade de café que bebemos por dia, diz estudo

A quantidade de café que as pessoas consomem pode ser determinada pelo DNA, de acordo com um novo estudo realizado por um grupo internacional de cientistas. Eles identificaram um gene que parece alterar a maneira como a cafeína é metabolizada pelo organismo: os indivíduos que possuem determinada variante desse gene tendem a sentir mais fortemente os efeitos da cafeína e, consequentemente, tomam menos xícaras de café. A pesquisa, publicada nesta quinta-feira, 25, na revista Scientific Reports, da Nature, foi liderada por Nicola Pirastu, da Universidade de Edimburgo (Escócia) e teve participação de pesquisadores da Universidade de Trieste (Itália), do Instituto Pediátrico Brulo Garofolo (Itália) e do Centro Médico Erasmus de Roterdã (Holanda). 

A pesquisa também teve contribuição da Illy, empresa italiana de produção de café. De acordo com o estudo, uma variação do gene PDSS2 reduz a capacidade das células do organismo para quebrar as moléculas de cafeína, fazendo com que a substância permaneça mais tempo no corpo. Com isso, as pessoas com a variação precisam consumir menos café para obterem o mesmo efeito estimulante da cafeína, em comparação às demais. "Os resultados do nosso estudo se somam às pesquisas já existentes, sugerindo que nossa tendência a tomar café pode ser determinada por nossos genes. Nós precisamos fazer estudos mais amplos para confirmar a descoberta e esclarecer a ligação biológica entre o gene PDSS2 e o consumo de café", disse Pirastu. Os cientistas analisaram as informações genéticas de 370 pessoas que vivem em um vilarejo no sul da Itália e de 843 pessoas de outros seis vilarejos do nordeste do país. Todos os participantes do estudo responderam a um questionário que incluía uma pergunta sobre quantas xícaras de café consomem por dia. O estudo concluiu que as pessoas com a variação no gene PDSS2 tendem a consumir diariamente, em média, uma xícara de café a menos que as pessoas sem a variação. Mais tarde, os cientistas replicaram o estudo em um grupo de 1731 pessoas na Holanda e o resultado foi o mesmo, mas o efeito do gene no número de xícaras de café consumidas foi um pouco menor. 

Segundo os autores, essa alteração pode ser causada pelas diferenças no estilo de consumo de café existentes nos dois países. Na Itália, as pessoas tendem a beber xícaras menores de café expresso, enquanto na Holanda o público prefere xícaras maiores com menos cafeína.

Link: Ciência Estadão

Seguidores