17 de janeiro de 2008

Post Encomendado rs

Estava comentando sobre alguns dos meus assuntos favoritos como história das religiões, amor e sexo, com o Marco do blog Lion Of Zion que é um ótimo escritor sobre temas polêmicos, digamos assim. Ele nos enviou um dos seus ótimos textos e faço questão de postar, em agradecimento ao conhecimento que ele me passa em seus posts. Antes que alguém nos acuse de panela ou coorporativismo, eu que pedi na maior cara de pau, sem mal conhece-lo, acreditem se quiser ok, hehe

A Formalidade do Casamento e o Sexo Livre.

Para alguns a maior honra de um cristão é casar virgem. E a pergunta maior, o ápice de toda comunidade cristã no orkut é “se é pecado fazer sexo antes do casamento”. E eu respondo, não! Não existe casamento sem sexo pode até existir sexo sem casamento.

Poderíamos entender o casamento como união espontânea entre pessoas, em afeto, diante de Deus e com perspectivas de que de certo. Todo cerimonial que se criou através do casamento é cultural e em outros pontos é cabível dentro da formalidade da lei.

Existe também o conceito religioso que é uma criação muito posterior da Igreja Católica. Segundo Alzon, o casamento era consensual e só no final do século XII se torna solene. Para Chauí, o casamento é transferido da casa paterna para a Igreja (primeiro à porta; depois para dentro) “garantindo o controle eclesiástico sobre a sociedade”.

O casamento jurídico, especificamente, tem ou não existido na história dos povos. Para Chauí “Somente com a consolidação das revoluções burguesas, com aquilo que alguns designam como o ‘desencantamento do mundo’ (isto é, a perda do poderio religioso católico-romano sobre a sociedade) e com o advento do Estado moderno, o casamento passou a ser cerimônia civil, sob o controle do Estado”.

O conceito é de que o sexo traz união matrimonial e entrelaça normalmente na expectativa de uma vida amorosa e outros conceitos são adjetivos, importantes sim dentro das comodidades individuais e necessárias, mas não essenciais. A prática religiosa contemporânea, contudo, e infelizmente, parece ter invertido essa escala de importância. O formal, o cerimonial, o “papel passado” se torna centrais e não o amor, a responsabilidade e a qualidade dos relacionamentos. Foi preciso a criação de outros “papéis passados” (desquite, primeiro; divórcio, depois) para se encontrar uma saída, também formal, para o não funcionamento do primeiro "papel".

Comentando o sentido da cerimônia matrimonial em nossa cultura, escreve uma psicoterapeuta que “o ato de casar, de assinar um papel perante a sociedade satisfaz basicamente a moral, as tradições. Do lado emocional procura-se tornar concreto o sentimento do amor, dá segurança, exalta o sentimento de posse. É a idéia de pertencer a alguém, de perder um pouco da individualidade. A origem é a segurança de pertencer à mãe no ventre. O amor é o sentimento que dá segurança. Como as pessoas ainda não amadureceram o suficiente para confiar apenas nele, precisam de uma garantia. O casamento é visto como uma garantia”.

Para Reich, “A certidão de casamento em si não constitui o casamento. A certidão de casamento para o inconsciente do homem sexualmente tímido nada mais é do que uma permissão para manter relações sexuais”.

Adão não tinha pais, Adão não assinou contrato, não houve pacto entre os pais dos noivos, não houve nada. Eva era a parte que falta de Adão, simbolicamente. O matrimônio os fazia completos.

Por que Deus se incomoda tanto, ou seja, considera um grande pecado pessoas que se amam verdadeiramente fazerem sexo? Por que, para Deus, é mais importante o registro formal de casamento do que o amor, no tocante à liberação da prática sexual? Por que a formalidade em um casamento sem amor é mais válido por causa de um papel? E um relacionamento livre com amor e sexo bom é pecaminoso?

Isso não faz sentido.
Paulo em I Coríntios 7.2 diz:
2 Mas, por causa da prostituição, cada um tenha a sua própria mulher, e cada uma tenha o seu próprio marido. Palavras de Paulo...

'se não podem conter-se, casem. pq é melhor casar do que abrasar-se'"

Se você vê na carta aos coríntios, Paulo deixa claro que está falando de SEXO COM PROSTITUTAS e não sexo sem papel assinado ou benção pastoral... "Acaso pode um membro de Cristo juntar-se com uma prostituta?” É uma das questões centrais dele na epístola”.

Abrasar-se = prostituição, sexo com prostitutas.

Corinto era uma cidade portuária, famosa também pela prostituição feminina e masculina.

Basta ler a epístola inteira pra se entender o contexto. Não precisa ser o mega-blaster-supra-supremo teólogo para entender as recomendações de Paulo. É só querer entender.

Separando o que é doença e não pecado, sexo é bom e ainda mais quando é feito por amor. Não quero dogmatizar o que é ou o que não é pecado por que isso é ruim. Existem casos e casos e o erro não está em um ato isolado, mas está na motivação em que se pratica tal ato. O erro não nasce nos órgãos sexuais e nem é preciso repudiá-los. Todo erro sai do próprio intento do individuo. E motivações pessoais não dão para regulamentar com listinhas do que é pecado e do que não é pecado.

Contudo não quero dizer que se você transar terá um compromisso eterno e inflexível com alguém. Tudo que for feito, em comum acordo, onde pessoas não fiquem magoadas e se houver magoa que aja no mínimo a busca de um entendimento. E no demais, sexo é bom eu recomendo, ainda mais quando é livre não do compromisso, mas da obrigação de ter um compromisso. Muitas vezes o compromisso é conseqüência de uma relação.

Como diria a raposa ao pequeno príncipe:
"Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas..."

7 comentários:

  1. "eu que pedi na maior cara de pau, sem mal conhece-lo, acreditem se quiser ok, hehe"

    Vc pediu com jeitinho. ^^

    E também me sinto super bem neste blog.

    Bjsproces.

    ResponderExcluir
  2. Ômi, é como disse uma vez meu profe da escola dominical: "a ordem que Deus deu pro casamento foi a seguinte: 'deixará o homem pai e mãe, unir-se-á à sua mulher e serão ambos uma só carne'. Pronto. Simples assim. O entorno ritualístico é a gente que inventa, cada época à sua maneira". E se a gente lembrar bem (e o Marco Aurélio do JMC pode nos ajudar bastante), um dos casamentos que o povo crente acha mais "fofinho" é o de Isaque com Rebeca, por motivos muito grandes pra um comentário =P. Mas o que ninguém lembra é que foi assim: Isaque bateu o olho em Rebeca, tomou pela mão, levou pra tenda e créu. Num teve padre, nem pastor, nem rabino e nem pai de santo. Mas foi uma união planejada e responsável, da parte de ambos. As questões que fazem com que nós, cristãos evangélicos, acreditemos que eh pecado são de outra natureza, no fim das contas. Polêmicas, complicadas e que exigem muita, mas muita fé (mesmo de nós) pra acreditar nelas.

    (Cafê, cansei, manda um cappuccino, plix! Com uma montanha de chantilly!)

    ResponderExcluir
  3. Lembrei das aulas da Escola biblica dominical que eu dava.

    Tudo de ressaca.

    ResponderExcluir
  4. Huahuahauh!

    (aff... esse café é pra hoje?)

    ResponderExcluir
  5. Cara se querem a bíblia de uma forma ipsis literis lembrem que Isaque assim como todos os caras do AT eram polígamos. E p/ falar a verdade isso é outra coisa que também não creio ser pecado. Afinal se há concordância entre as mulheres e o cara ou entre os caras e a mulher que mal tem?

    Quero ver algum pastor me provar que poligamia é pecado e desde quando?

    Será que Deus não tem mais o que fazer do que se preocupar com o nosso sexo?

    E por que todo pecado do mundo se resume ao sexo?

    E a mentira passa batido, o desamor e toda indiferença com a pobreza. Enquanto as igrejas se preocupam com o sexo de seus membros tem muita menina fazendo sexo anal com o namorado escondida e cheia de nóias-medos por que quer preservar seu hímem para o casamento de papel passado e o juízo final. Isso é fato não sou eu que estou inventando.

    Por essas coisas e coisas bem piores sou contra blogs do tipo “sexo cristão” ou um que vi estes dias “sexx church”.

    No meio já existem várias cristão nóias mascaradas de verdade-santa e por que mascaras mais nóias de pureza fajuta?

    A hipocrisia é tão grande para manter dogmas caducos que me dão asco.

    A bíblia se tornou um livro ruim por que toda sua interpretação é caduca. Ninguém entende que a bíblia foi escrita em diferentes tempos, pessoas, ambientes e culturas.

    É melhor maquiar as coisas para que um evangelho-caduco-ignorante-prepotente-idiotizante sobreviva nos guetos (que hoje são as igrejas) no lugar de um evangelho gracioso de amor fraternal.

    Enfim... Se eu escrever tudo que eu escreveria normalmente, não iria caber.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  6. Ahhhh...E antes que me perguntem ou se perguntem de que religião eu sou eu digo que sou um quase UUista.

    hahahahahaha

    Não sabe o que é entra aqui: http://pt.wikipedia.org/wiki/Unit%C3%A1rio-Universalismo

    ResponderExcluir
  7. Rapaz, cadê meu cappuccino? Tem q ter muita cafeína no cérebro pra digerir tanta coisa direitinho! ^_^

    ResponderExcluir

Senta aí, aceita um café e comenta o que achou. A política dos comentários é simples: Todos aceitos salvo caso fortuito ou força maior, isto é, minha vontade. Caso prefira, temos também nosso link para CONTATO lá em cima.
;-)

Seguidores