7 de fevereiro de 2008

O tempo leva alguns amigos...

Beto* foi meu melhor amigo durante os cinco anos de faculdade.

Amizade daquelas que a maioria não acredita que exista entre homens e mulheres. Trocávamos segredos, ríamos das fofocas do povo quando achavam que éramos namorados, pedíamos conselhos, passávamos a madrugada no telefone falando da vida alheia. Ele adorava música e lugares diferentes. Eu dava minha opinião feminina e lá ia ele tentar conquistar uma mulher com meus conselhos. E versa e vice. Nunca tivemos interesse além da amizade, um pelo outro. Viajávamos juntos, dormíamos juntos, de bater no outro se roncasse. Não, ele não era gay. Nem eu. Éramos irmãos. Aquela coisa que ninguém acredita que exista.

Um dia, Beto resolveu me chamar para a casa de praia dele. Com alguns amigos de infância que ele convidava sempre e eu não tinha chance de conhecer. Única mulher na casa, fiquei sem graça de aceitar o convite, mas por essas coisas que não sabemos explicar, fui passar o fim de semana no meio dos moços. E assim, nossa amizade nunca mais seria a mesma.

Um dos grandes amigos dele se apaixonou por mim e ficamos juntos. No começo, Beto apoiou. Depois disse que se soubesse que daria em namoro, não apoiaria. Ele se magoou por eu ter namorado um amigo dele. E eu me senti culpada também. Não faço idéia porque, mas senti.

Fiquei sabendo pelo namorado (hoje ex) que ele dizia coisas ruins sobre mim, só para nosso relacionamento não dar certo. Não brigamos, simplesmente nos distanciamos. Foram quatro anos deste namoro. E Beto, nunca mais falou comigo.

Hoje, vi fotos de Beto no orkut, com colegas de faculdade que ele mal gostava na época... Passei a noite relendo nossas conversas, salvas nos históricos do ICQ e MSN. E senti tanta falta dele. Como era boa nossa amizade. Apesar de ele ter agido de forma tão estranha e dito aos amigos que eu fiquei chata depois que comecei a namorar. Tanta gente já ficou chata pra mim, e nem por isso apaguei essas pessoas da minha vida. O que mais me deixa dúvidas é que ele nunca deixou de ser grande amigo do meu namorado (HOJE EXXX). Mas ele me apagou...e relendo tudo hoje, sei que perdi uma amizade que talvez tenha existido só na minha cabeça, mas era muito boa...

Um trecho das nossas conversas, este é da manhã do ano novo de 2002, ainda no ICQ:

Beto (06:34 PM) : vc tá aí?
Beto (06:34 PM) : preciso de um conselho feminino...
Doutora (06:35 PM) : hehe diz
Beto (06:36 PM) : quero mandar um e-mail pra uma menina que fazia academia comigo, que era mó simpática e tal quando eu namorava, hj encontrei ela no shopping... rs... e tipo... deu um estalo assim de tentar algo, só que nunca mandei e-mail pra ela... rs...o que eu poderia escrever?

Doutora (06:39 PM) : hum...tipo: Oii...acho que nunca te mandei um email né? Sempre tem a primeira vez... Gostei de ter encontrado vc hj ... Espero que vc esteja muito bem...Beijo e me responda hein??

Ass: Beto

Doutora(06:39 PM) : hehe tem que ser sem noção qdo não se tem assunto
Beto (06:40 PM) : hahaha... será? mas existe a chance de eu encontrar ela na Academia, pode ficar meio chato, caso ela não goste muito da idéia, não?
Beto (06:41 PM) : vou mandar nesse estilo... com algumas adaptações... rs
Doutora(06:42 PM) : heheh...bobo..manda assim que não pega nada não
Doutora (06:42 PM) :se quiser conversar liga ae...pq a banheira tá pronta..rs..bjo
Beto (06:43 PM) : mas nem o e-mail dela eu tenho...rs.. vou pegar na página dos ex-alunos...
Beto (06:43 PM) : Valeu...r.s.. bom banho...

Hoje ele está bem na profissão, soube pelos outros. Desejo sorte.

Um dia ainda entendo porque perco amigos com tanta facilidade.

*nome fictício.

13 comentários:

  1. Sabe... isso parece-me que ocorre com todos àqueles que se entregam...e quando chega algo (seja o que for) que abale essa relação forte de amor (seja amor de uma parte ou de ambos), resta espaço para o sentimento que mora ao lado, o ódio... não ódio no sentido odioso, mas na ausência de amor. Não na falta de amor, mas na ausência dele. E por que há ausência, porque nos entregamos e, no fundo, por mais que dizemos que não, esperamos a mesma entrega da outra parte... xiiiiiiii filosofia demais para um final de tarde, né não?


    Beijos e até amanhã.

    ResponderExcluir
  2. É bom pensar que você não perdeu um amigo.O amigo que perdeu você.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Nossa, como eu já me enganei com esses "amigos"... Dos 16 aos 23 achava q tinha uma amiga-irmã q me enganou muito!
    Sei como é... é duro! É triste, mas coloque na cabeça q quem perdeu não foi você e por mais q pareça estranho, guarde os bons momentos. Afinal são esses momentos bons que levamos da vida.
    E super cafeína, que vai me mostrar Sampa quando a carioca foi aí, tem com certeza grandes amigos!
    Beijão!

    ResponderExcluir
  5. eu acho que no fundo, no fundo, o beto gostava de vc mais do q como amigo, mas nunca teve coragem de assumir, talvez nem pra ele mesmo. E depois q viu q o seu namoro engatou, o ciúme atacou mesmo.

    Bjo.

    ResponderExcluir
  6. "Não, ele não era gay. Nem eu. Éramos irmãos. Aquela coisa que ninguém acredita que exista."

    Eu acredito nisso. Quer ser minha irmã?

    ResponderExcluir
  7. Por que não tentar se reaproximar deste ser colega ?

    Ele morreu ? Não né [Graças a Deus]

    É claro que a amizade nunca será mesma coisa de antes, mas....

    BjuTchau !

    ResponderExcluir
  8. Nooooossa, sei bem como é isso.

    Sei que não sou perfeita, mas uma coisa eu sei fazer, dar valor a amizades.
    Mas nem sempre as pessoas fazem o mesmo...
    Elas acham que somos descartáveis, então, fodam-se elas.
    Amigos de verdade NUNCA, NUNCA mesmo saem da nossa vida. Juro pra vc.

    ResponderExcluir
  9. É como a Márci falou, senta o dedo no MSN, ICQ, telefone, sinla de fumaça e troca um lero, a vida é uma só, e amizades boas, devemos cultivar...


    bjãozão

    ResponderExcluir
  10. Naquele vídeo motivacional Sunscreen, tem uma parte que diz que devemos sempre nos aproximar daqueles que nos conheceram qdo jovens, pois ele são os que conhecem o melhor de nós (ou algo assim).

    Acho que como todo mundo tb tive um Beto em minha vida, dos 18 aos 28, que ao contrário do seu era Gay (enrustidérrimo) e éramos como irmãos. E apaixonei por ele, mas pra ele, me faltava um "pequeno" detalhe (algo com 18 cm talvez... risos).

    Quando li sobre o seu amigo falando mal de vc para atrapalhar o relacionamento, lembrei de mim. Eu metia o pau (oooops, não tinha) no meu "Beto" para qualquer homem ou mulher que se interessasse por ele. Ou seja, o que te garante que seu Beto não era um apaixonado enrustido?

    Só pra situar, há uns 4 anos reencontrei o meu "Beto", a esta altura eu já era esta bissexual, pervertida, que tenho um tesão louco por homens que vestem a minha calcinha. Ele, continua o mes momoço com cara de sério, mas enrustdo, de sempre. Tem uma namorada, pra fazer social, e um namorado, por baixo dos panos. O tempo me mudou, mas não o mudou. Conversei com ele como quem não via um amigo de anos, ele me ouviu estarrecido e me disse que eu mudei demais. Não teve segundo café, apesar de termos marcado um outro, só pra desmarcar depois.

    Às vezes acho que o tempo não separa, só faz uma seleção natural!

    Beijos!

    PS - Os feeds me mantém sempre informada, mas infelizmente, longe daqui, amo o blog, mas o fato de ser do blogspot, de eu ter que ficar preenchendo espacinhos, me mata... risos. Acho que vcs sabem bem o que é isso... risos. No entanto, estou sempre de olho, e adoro isso aqui.

    ResponderExcluir
  11. Oiee querida :

    Dscobri seu bloguito no blog do fofo do Rui.
    Não sei se é o seu caso,mas todos os meus amigos homens, aqueles mais que irmãos e que eramos calcinha e...sabe bem o que ,também se afastaram de mim,.Mas no meu caso eu descobri o motivo de cada um deles.Ou seja...paixão recolhida.
    Certo é meu amigo Oda que diz que AMIGO DE MULHER É CABELEIREIRO.
    Por mais que eu lute contra até hoje,já estou me convencendo que mais dia menos dias o tesão aparece e o amigo desaparece ,rsrs
    Bjsssssssss

    ResponderExcluir
  12. Olha, eu sempre fui da opinião que grandes amizades que acabam por pouca bobagem não eram grandes e quiçá nem amizades. Talvez a recíproca não fosse verdadeira, talvez ele tivesse uma paixonite por você que nem ele soubesse que existia, talvez ele simplesmente nunca cogitou a idéia de vc pegar algum amigo dele, enfim... só ele mesmo quem poderia dizer o que aconteceu.

    Mas... querida... pense assim: vc não perde amigos facilmente, ninguém PERDE amigos. Perde-se colegas, perde-se conhecidos. Amigos, amigos mesmo ficam sempre, independente da distância, isso eu sei. É isso.

    ResponderExcluir

Senta aí, aceita um café e comenta o que achou. A política dos comentários é simples: Todos aceitos salvo caso fortuito ou força maior, isto é, minha vontade. Caso prefira, temos também nosso link para CONTATO lá em cima.
;-)

Seguidores