30 de agosto de 2008

A Chave - Mulher que não dá, voa

Hoje é Sábado, dia da coluna dos leitores - A CHAVE. E quem nos envia seu texto é o Zoltan, do bacanérrimo blog Zoltan o Bardo. Obrigada pelo texto e quem quiser nos enviar um texto serão bem vindos.


Pensava nessa máxima aristotélica quando a esperava no portão. Pela primeira vez me apaixonara por algo mais que um par de peitos e uma bunda grande. A bem da verdade ela não tinha nem um nem outro. Mas tinha um sorriso lindo. E pela graça do meu bom Deus, era a primeira coisa que eu via quando ela aparecia no portão. Até porque eu nunca vi mulher chegando de ré.

Ela completara 18 anos recentemente e o namoro ia lá pela casa do terceiro mês. Rolava umas brincadeiras mais íntimas mas nada do “vamos ver”. Em outros tempos, e com outras garotas provavelmente eu já teria dado com o pé. Na bunda ou na estrada, não necessariamente nessa mesma ordem. O caso era diferente. Tinha sentimento. Um treco que eu nunca me empenhara em deixar florescer. Ai que residia a merda toda. Gostava, sentia ciúmes, cheguei até cogitar casar com ela algum um dia. Mas tinha chão até lá. E era disso que eu precisava.

Quando ela ainda trancava a porta, fiquei pensando numas três mulheres que transariam fácil comigo e resolveriam esse pequeno entrave diplomático. Coisa discreta e funcional. Então ela chegou, sorriu e me beijou. Dei um meio sorriso e a afastei. Já que não tinha sido homem o bastante para dizer que queria transar com ela e que me sentia insatisfeito com aquilo, deveria ser homem de deixá-la antes de pregar uns dois ou três chifres em sua cabeça. Como todo casal, nós tínhamos algumas brigas e problemas. Apenas inflei alguns deles e dei com pé. Na estrada.

Alguns amigos me disseram que ela era muito nova. Conhecidos me disseram que eu era um herói por ter agüentado tanto tempo. Desconhecidos me chamaram de otário mesmo. Todos com alguma parcela de razão.


Quer participar desta Coluna, todo sábado por aqui? Fale de nós, conte sua experiência em relacionamentos, crônicas, situações, dicas, investidas mal sucedidas e vamos doutrinar o mundo. Mande seu texto para A Chave bebendo.fumando@gmail.com e publicaremos com seu link.

5 comentários:

  1. Homem quando se apaixona vira trouxa. Isso é fato!

    ResponderExcluir
  2. Pra mim é um otário,
    que coisa é essa com os homens que mesmo amando, ama mais ainda o sexo? E não vem com essa de natureza, necessidade...
    Nossa me indignei com esse texto né, deve ser porque ele é bom demais, parabéns ;D

    ResponderExcluir
  3. Jéssica não dá faz tempo ou é sapa.

    Jogasse ela do prédio. Se voasse, vc saberia, se não acabaria com o problema.

    ResponderExcluir
  4. Concordo com Andarilho e digo mais: mulher quando se apaixona é mais do que trouxa. É uma idiota desprovida de cérebro.

    ResponderExcluir

Senta aí, aceita um café e comenta o que achou. A política dos comentários é simples: Todos aceitos salvo caso fortuito ou força maior, isto é, minha vontade. Caso prefira, temos também nosso link para CONTATO lá em cima.
;-)

Seguidores