30 de setembro de 2008

Homem carinhoso ou não?

Tenho percebido relacionamentos muito diferentes por aí.
O que mais vejo são casais extremos. Digo, ou são aqueles casais diabéticamente melados e enjoados de tanto grude ou são aqueles casais que mais parecem amigos de futebol de fim de semana, onde praticamente se cumprimentam com aperto de mão.
Lembro que depois de uns 3 anos do meu antigo relacionamento todos achavam que já éramos realmente casados. Isso porque não havia praticamente mais qualquer contato físico. Éramos amigos que se davam muito bem a ponto de se verem sempre. Isso me incomodava um pouco.
Eu não sou das companheiras mais grudentas, gosto de espaço e respeito espaços, mas poxa vida, nada como um bom colo ou uns beijos durante o dia. E nada disso acontecia. Lembro que passamos quase uma semana sem se beijar. Quando nos beijamos parecia primeira vez. Esquecíamos mesmo. E isso era indício de um triste fim. Simplesmente acabou qualquer atração por causa dessa distancia. Parecer casado, é ser separado.
Não que eu faça apologias entusiastas pelos casais diabéticos que se lambem o dia todo e mal conseguimos falar com um sem ver o outro no mesmo campo de visão. Não que esteja falando mal ou com inveja disso. Se estivesse, falaria sem problemas, mas quem me conhece sabe que não é o caso. Eu sou e admiro auto suficiência. Não obstante, sou e admiro atenção e demonstrações de sentimentos. Acho necessário. Acho justo.
Uma vez, uma colega me perguntou como fazer o noivo dela gostar mais dela antes do casamento. Fiquei indignada, como assim colega, casar com alguém que ela não sente que a gosta suficiente? Depois entendi. Não era na verdade o fato dele gostar ou não. Ele só não demonstrava o que sentia, e ela não o cobrava por medo de perde-lo.
Mulheres têm problemas para admitir que precisam ser mulheres, as vezes. E homens, não conseguem ser homens, as vezes. Que coisa... Vamos tentar ser mais praticos e eficientes?
A minha sinceridade do dia hoje, amigos? Dormi sozinha, mal e com frio. E sim, queria um colo, sem pedir, coisa de mulherzinha.

6 comentários:

  1. Bem, casais diabéticos são normais no começo do relacionamento. Mas depois chateia, tudo que é demais enjoa, hauhauha.

    ResponderExcluir
  2. Acho que o meio termo é necessário. Somos conhecidas por não saber o que queremos e nessa hora eu me encaixo perfeito nesse rótulo. Às vezes quero grude, às vezes quero distância.

    E eu que tinha me esquecido de como era gostoso dormir abraçado... com alguém que se gosta. Abstrai, amiga: você terá um colo quentinho em breve, certeza. E não grudado!

    ResponderExcluir
  3. se alguem souber o limite do grudento e do ausente ficaria mais facil.

    ResponderExcluir
  4. nha eu sou uma carente eterna e qto mais o cara me da colo e carinho, mais eu quero....

    ResponderExcluir
  5. Tem horas que acho que estou lendo um "Sex and City" paulistano aqui.. hehehe

    ResponderExcluir
  6. Acabou de me traduzir! Só um pouquinho mais de atenção não custaria nada...

    ResponderExcluir

Senta aí, aceita um café e comenta o que achou. A política dos comentários é simples: Todos aceitos salvo caso fortuito ou força maior, isto é, minha vontade. Caso prefira, temos também nosso link para CONTATO lá em cima.
;-)

Seguidores