2 de outubro de 2008

O vício do Celular



Há tempos eu tinha pavor de pessoas dependentes e viciadas no aparelho celular. E mais apavorada ainda estou ao perceber nas últimas semanas que eu tenho caído neste vício. A troco de nada! Isso. Nada.

Lembro minha prima e mais algumas amigas que me irritavam profundamente ao irem tomar banho, almoçar, jantar, escovar os dentes, dormir, enfim, tudo, acompanhadas do celular, no bolso ou na mão. Geralmente nas mãos, para não perder ligação ou mensagem alguma. Vai que no bolso elas não o ouvissem? Eu ria no começo. Depois me irritava. Ao final do dia eu já estava xingando alguma delas. Onde já se viu você conversando sobre algo seríssimo com alguém, como o jogo do Tricolor ontem ou aquele cara que você não sabe se vai ou não, e esse alguém com um aparelho na mão, freneticamente olhando para o visor? Pois bem, fiquei assim.


E sinceramente, não entendo o por quê. Meu celular é mudo. Poucas pessoas me ligam. Um amigo, outra amiga. Na verdade, tem dias que eu ligo pra alguém só porque o celular está na minha mão. Compulsivamente doente por atenção. E nem estou esperando a ligação de alguém. Mentira. Na verdade estou. E sei que não precisava ficar tensa assim. Mentira de novo. Na verdade eu até precisava, mas não devia, entende? Mentira.


Assim, ontem, antes de dormir, muita chuva lá fora, rádio AM tocando, celular do lado do travesseiro. Cafeína, quem iria te ligar depois das 23hs?? Hein? Ah? Ah, vai que alguém está em apuros e precisa de mim né? Mentira de novo. Você não é médica, nem coveira Cafeína. Nada é tão urgente. Ah, vai que alguém só quer conversar, saber de mim e tal... Mentira, mentira!


Passam-se 40 minutos, acabou o jogo na rádio, um cigarro e o celular ao lado do travesseiro. Coloco o alarme para acordar às 5h25 da manhã. Sim, acordo cedo. Revejo todas as mensagens de sms do meu aparelho. Revejo todas as fotos. Revejo os vídeos. Só para pegar no sono. Mentira! Para dar uns sorrisos, é claro. Uma hora depois, alguns bocejos e melhor dormir. Ninguém vai ligar e ficou tarde demais pra eu ligar pra alguém. Ainda mais com essa chuva, vai que um raio cai na antena inexistente do meu celular. Eu tenho medo de raios. De raios e de celulares maus que viciam a gente.


E o que esse celular está fazendo agora na minha mão? Neste momento! E a bateria está acabando, será que dura até a tarde? Ah, nem ligo óh, ninguém vai me ligar mesmo... MENTIRA!!!!

3 comentários:

  1. Ai ai ai Cafê, acho que então eu sou o último resistente dos sem-celular.

    Se eu tivesse um, te mandaria um sms.

    ResponderExcluir
  2. não tem como porque ela não deu o numero... muito bom esse texto...

    ResponderExcluir
  3. café, meu celular morreu! E eu tô tão feliz com isso!!! Juro! Você não imagina a sensação de liberdade, a alegria que dá. Sem contar a sensação de superioridade quando alguém diz: "me dá o número do seu celular" e você responde: "Nâo tenho!" \o/ É o must! Pena que isso vai acabar, afinal de contas o bichinho é um mal necessário, tenho que admitir que em determinas (e poucas) ocasiões ele faz muita falta!

    ResponderExcluir

Senta aí, aceita um café e comenta o que achou. A política dos comentários é simples: Todos aceitos salvo caso fortuito ou força maior, isto é, minha vontade. Caso prefira, temos também nosso link para CONTATO lá em cima.
;-)

Seguidores