21 de novembro de 2008

Momento Humano

Hoje fiz o café como prometido.
Servi na xícara que só eu uso.
Passei a semana saindo a lugares onde não me faça pensar em mim.
Adquiri novo vocabulário, só para não repetir as mesmas palavras.
Tentei pensar no melhor e esquecer do que não tive.
Nestes dias, tentei a felicidade.
Não é por falta de busca.
Fui otimista, ajudei problemas alheios.
Ouvi todos os que não me conhecem, escutei os poucos que precisavam, e como sempre.
Acabei sozinha.
A sobriedade é sombria.
E há tempos essa sombra me persegue.
Odeio ser piegas,mas às favas com este café numa xícara bonita.
Hormônios amaldiçoados que afloram o que tento esconder todos os dias.
Converso com as paredes rabiscadas, com o canário, com o espelho colocado na parede só para refletir meu rosto.
Ninguém me responde.
Todos me contam seus problemas como se eu não os tivesse.
E ninguém, ninguém quer ouvi-los.
Pudera, ninguém é obrigado... nem devem ser.
Minha pessoa só me diz respeito.
E é só dela a minha companhia.
Mas dói demais.
A falta de tudo que ainda não tive.
O medo de não ter.
O repúdio por essa massa adiposa que me envolve.
A falsa sensação de quem tudo estará melhor na manhã seguinte.
A mentira da noite.
A verdade sem lógica do dia.
Todos temem, só eu não posso?
Há tempos não abraço com tesão.
Mal sei o que é gargalhar.
Sinto raiva do que me tornei. Mais raiva ainda de não querer que ninguém saiba disso.
Postura errônea de quem está melhor do que parece.
Querer ser ideal para quem está se lascando para mim.
E ser idealizada por apelidos virtuais que nunca se concretizam.
A vida se cansou de mim.
E eu não sei como reconquistá-la.
Esqueci como se faz.
Perdi a fé no velhinho sentado numa nuvem.
Faltava eu na vida de deus.
A única coisa que ganhei tentando a perfeição,foram resultados imperfeitos.
Anestesiada pela abstinência de não sentir, sigo contando as horas,não há reação,somente uma sinistra esperança que o mundo mudará em poucas horas...

5 comentários:

  1. Se Eu fosse o velhinho na nuvem diria explicitamente pra essa personagem q vc criou, já q pelo jeito como todos os humanos ela não pesca indiretas mto bem kkkk q:

    "a hora q tú perderes essa pose que sustentas pra ti mesma e o medo do ridículo começarás a alcançar a felicidade q imaginas querer" maaas... "cuidado c/o q pedes pq ...podes conseguir huahuahuahuahua"

    Massa adiposa é bom hein rs rs rs Pense pelo lado positivo, essa massinha toda tem te preservado algumas ilusões q te mantém na esperança e consequentemente poupado das decepções em relação às mesmas - Será uma autodefesa inconsciente ??? Tchrammmmm ...o q nos leva a questão da audição d seus problemas ...nda q o divã ambulante do Dr. Marcão não resolva ou ...complique mais ainda kkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  2. Eu acho que vc está precisando mesmo é de um bom abraço.

    ResponderExcluir
  3. tambem acho que você precisa de um abraço.

    ResponderExcluir
  4. Está aberta a campanha "um abraço na Cafê"

    Bom, xuxu, a bosta toda é essa aí mesmo. O que a gente pode fazer é sentar e se lamentar, ou tentar fazer diferente; acho que desistir da bosta toda não é bem uma opção, pq afinal, a bosta vai continuar lá.

    Entãããããããooo, tá mais do que na hora de vc despir esse personagem que já anda infeliz demais, e pegar aquela fantasia [pode até ser falsa, mas qual fantasia não é?] que te deixa mais sexy, mais feliz, mais bunita, mais Cafê.

    ResponderExcluir
  5. mas que merda como eu queria poder sentir ver cheirar essa pessoa que sofre por se sentir viva demais numa vida sem sentido, que n seja o comum o fatal o de sempre, nossa da ate p sentir o gosto do seu pesar... q merda de vida q faz sentir as coisas sem poder sentilas ao maximo

    ResponderExcluir

Senta aí, aceita um café e comenta o que achou. A política dos comentários é simples: Todos aceitos salvo caso fortuito ou força maior, isto é, minha vontade. Caso prefira, temos também nosso link para CONTATO lá em cima.
;-)

Seguidores