16 de dezembro de 2008

Amigos de Fé



Poucas coisas eu fiz direito nesta vida. Uma delas é manter alguns amigos para horas de, digamos, solidão. Amigos 'firmeza' mesmo, que na aliança ou na balada não te deixaria na mão se o tempo virasse e aquela tempestade de areia começasse a te incomodar. Quase todos são de longa data. Quando digo, quase todos, parece que tenho uma lista de fuckfriends, calma lá, não fui tão competente assim e o tempo foi levando alguns para o matrimônio e a fidelidade partidária. No entanto, os poucos amigos que tenho são fiéis, bons de conversa e me corta dizer que são os relacionamentos mais estáveis que eu tenho há tempos. Sim, porque tenho amigos há anos... Nos últimos tempos, os namoros têm durado parcos meses. Os amigos, há anos...

Prova disso, numa dessas noites, sozinha e animadíssima em casa com minha internet, TV, rádio, catu Felina e meu tapete vermelho, divagava quando, às 2hs da manhã, toca o celular:

- Cafê? Tá onde?
- Èrr, hm, em casa.
- Posso ir até aí?
- Em casa? Éam, shoo shoo, tipo assim cara, to meio ébria e sozinha e tais...
- Ótimo, também estou, em 15 minutos 'tô' aí.
- Tá e...

Plac Tuplash, acorda Cafeína !!! Lava o rosto !!! Concentração !!! Nhá, às favas, vocês já se conhecessem há anos e não há certas formalidades como: depilação ou bom hálito. Em 15 minutos:

- Oiiiiiiiii
- ...

Corta cena, conversávamos sobre o nada, e ébrios de forma consciente e coletiva falávamos dos ex-relacionamentos e das pessoas gramatical e culturalmente burras. Qualquer semelhança com a realidade seria meramente coincidência. Rimos como há tempos eu não ria. "Nosso senso de humor realmente é irritante" "Por que não demos certo mesmo?" "Ah é, você me ignorou" "Ah nem vem, você tinha outro" "E você alugou A Era do Gelo?"... E sempre funcionamos assim, até que ele diz:

- Você escreve né? Já publicou?
- Não, sou uma escritora sem publicações.
- Mas escreve sobre o que?
- Éam, coisas da vida.
- Que tipo?
- Ah, coisas... assim... a vida... pessoas...
- Bah, homens? Daquelas feministas estupradoras que falam mal de homens?
- Não, não falo mal de homens! Só falo a verdade, aliás, quase sempre.
- Então, mal, a verdade pra vocês é falar mal da gente!
- Não, eu gosto dos homens, tanto que até queria ter um só pra mim, poxa.
- Óh eu aqui!
- To falando de direito de propriedade, não Consignação.
- Dramática.
- Hehe óh vida, óh céus...
- Então e você já escreveu de mim?
- Pronto, estava demorando pra perguntar... Vocês acham que eu faço tudo pra poder escrever depois! Não sou assim, está certo que minha vida surreal ajuda, mas muita coisa vem de mim. E não são t...blablabla
- Vou ter um capítulo sobre mim?
- Éam, capaz. Talvez dentro do capítulo dos 'quases'.
- Quase são esses caras que você namorou e nada de estarem aqui. Deixa eu ler antes de você publicar?
- Não, tenho licença poética, você pode não gostar. Vai ser ficção.
- E falta o que?
- Aprender a escrever melhor, bons contatos, uma editora, alguns 32mil acessos diários, público, exposição na mídia, ser conhecida e...
- Bem, pelo menos eu sendo seu amigo tenho certeza que verei isso pronto, se fosse o namorado já saberia que não estaríamos juntos até lá hehehe...
- Será o namoro que faz as coisas acabarem?
- Provável, todos os nossos namoros terminaram, mas nossas amizades não. Percebe?
- Nhá, desculpa besta para não se comprometer.
- Também, mas faz sentido.
- Sono.
- Também, melhor eu ir indo e...

Minutos depois, beijomeliguatchau.
"amigo é coisa pra se guardar..."

2 comentários:

  1. Se ele não ganhar um capítulo do livro, pelo menos ganhou um post. =P

    ResponderExcluir
  2. êêêêÊêêêêê!!!

    Novo, tudo novo!!!

    As histórias, however... homens... são tão egocêntricos, incrível!!!

    ResponderExcluir

Senta aí, aceita um café e comenta o que achou. A política dos comentários é simples: Todos aceitos salvo caso fortuito ou força maior, isto é, minha vontade. Caso prefira, temos também nosso link para CONTATO lá em cima.
;-)

Seguidores