18 de junho de 2009

Você sabe disso.

Desde o começo eu já sabia que não era você. Você nunca foi meu modelo ideal de relacionamento. Você sabe disso. Homem instável e coberto de clichês machistas vivia me repreendendo por conversar com os manobristas lá do seu trabalho. Eu preferia acreditar que era ciúme, mas no fundo tinha certeza que era puro machismo. “Mulheres decentes não ficam se oferecendo para estranhos” ele decretava como se fosse uma lei nova e não uma que já caiu em desuso na época do Império. Ah, desculpe, o seu Império não caiu não é? Entendo.

E fiquem todos tranqüilos amigos, parem de me alertar que ele é um homem old fashion, daqueles que nunca vão admitir que a mulher saia de casa sem eles, ou ainda diga que trabalhar de forma remunerada é coisa de mulher mal amada. Porque eu sei que ele é. Na verdade, ouço de forma disfarçada como “Imagine amor, você nunca vai passar necessidades ao meu lado” ou ainda “Carregar todas as compras sozinha? Nunca, eu faço o mercado, linda”. Mas se acalmem amigos, eu sei que são frases subjetivas carregadas de preconceitos e inseguranças que farão de mim uma Rapunzel 2.0..

Estou ciente de tudo isso família, não se desesperem. Não temam que um futuro casamento me afaste ainda mais de todos vocês. Parem de repetir que ele é daqueles tipos que tiram a mulher da sua família para fazer outra substituta. Eu entendi isso faz tempo, apesar dele mascarar essa idéia ao dizer que “devo ser mais independente da minha família” ou ainda “que devo cortar as amarras do mimo que recebi”. Aqui dentro eu sei o que quer dizer tudo isso e que em um possível natal ele não me deixará nem ligar para minha mãe.

Desde o começo eu sabia quem era você. Seus truques, seu charme de homem experiente e porto seguro para a fragilidade emocional feminina. Esse seu tom de voz é um clichê dos ditadores da afetividade... Suas roupas bem cortadas, essa elegância toda de quem está sempre pronto para fazer de hoje o melhor dia da sua vida, o modo como você sabe o que estou pensando, suas adivinhações dos meus desejos mais internos, essa fortaleza em forma humana capaz de segurar todos os casos fortuitos e forças maiores do mundo. Sua certeza absoluta sobre a vida, a morte, os fatos, os problemas, as soluções, e de tudo que eu nunca tive certeza alguma. Seu maldito gosto musical bendito. A forma que seu colo manipulador tem as medidas exatas para cada pedacinho de mim. As diárias mensagens por cartas, emails e sms sempre tão confortantes, românticas e controladoras.

Desde o começo eu já sabia que não era você. Você nunca foi meu modelo ideal de relacionamento. Você sabe disso.

5 comentários:

  1. Pois é... para ler ouvindo "Hate that I love you"

    ResponderExcluir
  2. A questão maior não é se ELE sabe, mas se VC sabe.

    ResponderExcluir
  3. é você nunca foi meu modelo!!!

    café to com saudadessss, fiquei um tempo sem vir aqui por causa do trampo mas estou de volta bjus!

    ResponderExcluir
  4. Houve um começo? Houve um fim? Ou isto ai é um pedido de socorro?

    ResponderExcluir
  5. A questão maior não é se ELE sabe, mas se VC sabe. [2]

    Eu tenho problemas em me convencer dos meus erros.

    ResponderExcluir

Senta aí, aceita um café e comenta o que achou. A política dos comentários é simples: Todos aceitos salvo caso fortuito ou força maior, isto é, minha vontade. Caso prefira, temos também nosso link para CONTATO lá em cima.
;-)

Seguidores