24 de julho de 2009

Quem muito agrada, desagrada.

Nunca ouvi esse provérbio, acho que inventei agora mesmo. Mas você vai ver se esse provérbio, inventado ou não, não se aplica a pessoas que você conhece: Às que querem agradar a todo o preço. Então tornam-se "encantadoras". Procuram adivinhar os mínimos desejos dos outros. Procuram elogiar de qualquer modo. Começam também a mostrar que fazem sacrifícios a cada momento. Esse tipo encantador pesa na alma dos outros. Em uma palavra: desagrada. Se a pessoa consegue ser e ficar à vontade, ela deixa os outros serem e ficarem à vontade.

Pode-se Amar Sem Admirar?
Pode-se dar amor natural, comum. Poder ter pena da pessoa ou ser fisicamente atraída por ela, e enganar-se pensando que essa reação é amor. Mas para que o amor real exista é preciso que você admire alguma coisa nele ou nela. Theodor Reik acha que o "amor só é possível quando você atribui um valor mais alto à pessoa do que a você, quando você vê nela ou nele uma personalidade que, pelo menos em algum sentido, é superior à sua".


(Clarice Lispector - Só para Mulheres - 1975)


Eu levo isso tão a sério que sempre me desagrado com excesso de zelo
e me apaixono por tudo que admiro.

7 comentários:

  1. Apaixonada por Clarice como sou, vim correndo aqui!
    Sei lá... fiquei meio assim lendo isso...
    Excesso de zelo...Sempre fui tão carente de afeto dos meus pais que se aparece alguém com um mínimo de zelo por mim, eu fico tããããão feliz!

    Beijo, moça!

    ResponderExcluir
  2. Eu entendo Du, todos nós gostamos de zelo e atenção, mas no caso, parece-me que a intenção é destacar as pessoas que fazem isso em troca de interesses ou ainda por falsidade, quando diz "a todo preço", no popular os famosos "puxa-sacos", sem afeto de verdade entende? Pelo menos é desta forma que eu entendo.
    bjin moça dos sonhos

    ResponderExcluir
  3. Ah tá! rsrsrs a pessoa aqui é toda sensível, já imaginei outra coisa! Mas sendo assim, concordo plenamente contigo, não suporto gente falsa e ainda por cima, puxa-saco!

    Beijo, meu café preferido de todas as manhãs!(não, não tô puxando saco ¬¬)

    ResponderExcluir
  4. "Quem muito agrada, desagrada".

    Muito phoda. É isso.

    ResponderExcluir
  5. Concordo : a afinidade tem que acontecer naturalmente, claro. Coisas artificiais, montadas para agradar, também não me seduzem.

    Beijo,

    ℓυηα

    ResponderExcluir
  6. Eu tb! Com certeza acabo me apaixonando por tudo o que admiro...
    Bjão

    ResponderExcluir
  7. Sem admiração não há como dar continuidade ao querer... E amar é querer pra sempre, tudo junto, agora e muito! Compartilhar, trocar, se envolver é questão de confiança que só existe quando a gente, sem querer, se depara com um alguém que faz a gente se sentir tão tão tão bem! E, quando, por teimosia, ou mesmo por insegurança boba, procuramos um "por que" pra toda essa "luz", tão forte, tão imensa (que toma conta de tudo sem pedir licença, que invade até o ar que a gente respira, que muda pra muito melhor todas as cores, aromas e sabores), encontramos tão somente a admiração, que por si só, vai movendo o nosso mundo, girando e crescendo a cada volta, como uma bola de neve, e nos faz acreditar que, dessa vez, a sorte chegou pra ficar, simples PEQUENO GRANDE detalhe, o maior motivo pra admirar o "continuar admirando": VERDADEIRO AMOR!
    bjão pra todos!

    ResponderExcluir

Senta aí, aceita um café e comenta o que achou. A política dos comentários é simples: Todos aceitos salvo caso fortuito ou força maior, isto é, minha vontade. Caso prefira, temos também nosso link para CONTATO lá em cima.
;-)

Seguidores