21 de agosto de 2009

Fumê fumá! São as leis da natureza....


Tinha prometido que nunca mais iria numa balada depois do dia 07 de agosto, lei antifumo. Mas sabe como é né? Junta aquele monte de amigos exús alucinados por baladas e mais baladas, acabei me empolgando.
Fui para o Willi Willie, no caminho fiquei imaginando o que faria quando o corpo entrasse em colapso por falta de nicotina, fumar na janela? Não pode! No banheiro? Não pode! Ir embora? Pode!
Enfim, juntei toda a coragem que pude e misturei com a vontade de beber algumas várias cervejas e fui. Bar lotado, mas muito lotado e nada de fumaça, o cheiro era uma mistura de suor com bafo de cerveja e fritura de nuggets. E um monte de gente feliz, não sei se foi impressão minha, mas pude notar em cada sorriso o alívio pela falta da fumaça.
Tudo muito estranho, acho que é a novidade, porque com o passar dos anos vai ser normal uma balada sem fumaça, apenas com os odores fortes das bebidas e das pessoas bêbadas. Agora, ainda é estranho.
Consegui chegar até o balcão e saborear a minha brejinha, ponto positivo da noite: Não enfiei o cigarro na cara de ninguém, ou seja, pela primeira vez a pessoa atrapalhada aqui não feriu ninguém com sua brasa incandescente. Uau!
A sim...e deu aquela vontade absurda de fumar, meu cérebro gritava: Ina , Ina, Ina, queremos Nicotina!! Graças a Nossa Senhora do Tabaco o bar disponibilizou um local do lado de fora para os fumantes, tipo um cercadinho em frente. Chato ter que descer até lá, mas o fumódromo tava mais legal que lá dentro, se colocassem umas cadeiras ficaria perfeito. E claro que virou pegódromo, né? Alguns casais se apertavam entre um grupo de fumantes e outro, pegação esfumaçada.
No fim das contas a noite foi tranquila, não foi tão traumatizante como imaginei, quando não tiver frio e chovendo, posso ir ao Willi Willie.
Falando sério, a parte chata dessa lei são os próprios fumantes, toda vez que desço até a rua para equilibrar o nível de nicotina tem um fumante contrariado, reclamando que é um absurdo não poder fumar onde quer, que deveriam parar de vender cigarro, que essa lei é uma merda e blá blá blá.
Oqueeeei! Também acho tudo isso, mas cala a boca e me deixa fumar em paz.
Fumantes são chatos!

5 comentários:

  1. É exatamente isso que está acontecendo.
    Calçada de bar virou ponto de encontros, de paqueras e pegações. Até os não fumantes estão invadindo o nosso espaço.
    Enfim, a calçada está tão animada que se passar uma bandinha na rua sai todo pensando que é carnaval.
    Sexta passada até rolou convite de uma moradora da Vila Olimpia: Vamos todos lá pra casa, tem uma mesa de frios esperando.
    Fui nada.
    Beijão do amigão!

    ResponderExcluir
  2. Hahaha, fumantes são chatos mesmo. Eu pensei que só fumantes aturassem outros, mas pelo visto nem eles, hauhauhau

    ResponderExcluir
  3. é uma droga ir pra balada e ter que sair toda vez pra fumar, pior ainda é a galera e fica conversando a respeito, pora eu nem conheço o ser e ele vem falar de lei comigo, pro inferno.

    ResponderExcluir
  4. Também cheguei a cogitar parar de ir em baladas. Cheguei a deixar um maço de cigarros preso no limpador de parabrisa de uma viatura dos fiscais, em sinal de protesto mas depois que tive minha sexta amigdalite semana passada, resolvi que talvez seja mais interessante mesmo parar de fumar.
    Tou vivendo a base de emplastros de nicotina e o melhor de tudo é que nunca mais precisei aguentar fumante chato reclamando na minha orelha! heheee

    ResponderExcluir
  5. Eu que sempre fui desanimada de sair pra balada, agora que a animação de verdade fica só na área de fumantes, ou seja, NA RUA... prefiro beber em casa.

    ResponderExcluir

Senta aí, aceita um café e comenta o que achou. A política dos comentários é simples: Todos aceitos salvo caso fortuito ou força maior, isto é, minha vontade. Caso prefira, temos também nosso link para CONTATO lá em cima.
;-)

Seguidores