16 de outubro de 2009

Come as you are...





Lá se foram sete músicas do repertório e tenho quase certeza que este moço está olhando pra mim. Na oitava música constatei, se este cantor não está me dedicando toda essa apresentação, mudo meu nome pra Sebastiana Maria, assim, composto mesmo.

Anos atrás eu comecei um ritual muito interessante que se perpetuou com o tempo: Comecei a sair sozinha. Sozinha mesmo, tomava meu banho, passava minha maquiagem, enchia minha bolsa de coisas de mulherzinha e pegava meu carro 1.0 em direção a algum bar, cinema, shopping da cidade. Afinal, eu era uma universitária independente, estudava, estagiava, não tinha amigos solteiros e odiava depender do horário alheio para sair. Sempre depois
das 20hs, enchia minha bolsa, meu tanque de gasolina, minha confiança e saía feliz sem dever nada pra ninguém, fechando a porta e avisando meus pais que toda a minha galera estava ansiosa me esperando lá no lugar marcado...

Um dia desses, estava muito chateada achando que o mundo fosse acabar por alguma coisa seríssima que não me lembro agora. Coloquei minha melhor roupa, cumpri todo o ritual e fui para o shopping comer alguma coisa que me desse satisfação qu
içá assistir algum filme.

Conforme planejado, muito mais confiante do que antes, peguei minha bandeja de Pizza Hut + Salada + Coca Light + Mousse de Chocolate, sentei na praça de alimentação vazia (era uma noite de quarta-feira, ninguém vai ao shopping numa noite de quarta-feira) me sentindo a Angelina Jolie antes do Brad e fiquei assistindo o mocinho que cantava por lucrativos 50 cruzeiros ali no meio. Era alguma coisa do Lulu Santos, eu acho.

Como boa asti
gmática na ‘balada’, estava sem óculos e de longe o mocinho parecia realmente um ser humano bonito. Não era lá um bom músico, mas estava me agradando com aquele cabelinho quase loiro Kurt Cobain. Resolvi sentar mais perto e fazer como aquelas macacas de auditório que aplaudem no final de cada música, no meio da praça de alimentação de um shopping, entre uma pizza e uma bandeja.

Logo que sentei mais perto, Kurt Cobain não era lá Kurt Cobain mas tinha seu charme. E sim, ele cantava olhando pra mim todas as músicas. Vamos ignorar o fato de eu ser a única pessoa num raio de 100km naquela praça e vamos focar na paquera.

Passei a comer d
emoradamente. Foi um sufoco, justo eu, desastrada crônica, não poderia babar no canudinho nem deixar o molho da salada cair. E claro, ainda dar aquele sorrisinho “Eu sei que essa música foi pra mim, baby”. Uma hora e meia depois, finalmente ele agradece o público (que público?) e lá são 22h, hora de juntar o violão. Minha Coca Light tinha virado Chá Matte mas ainda estava lá... E o mocinho veio direto a minha mesa.

Conversamos por 30minutos, tempo suficiente para eu saber que ele era músico (ow), tocava em vários shoppings (ow), morava do outro lado da cidade e era lindo. Ótimos requisitos para ser o pai dos meus filhos, aham vamos lá pra escada
de emergência do shopping falar mais sobre o nome do primogênito.

Era quase meia noite, o shopping no apagar das luzes, resolvi terminar a sessão corujão da escada e voltar para minha casa. Kurt NOT Cobain (de perto estava bem longe disso...) me acompanhou e pediu meu telefone com uma condição...

- Café... eu estou procurando uma namorada de verdade sabe? Companheira, que seja exatamente do jeito que eu gosto e você é quase deste jeito sabe?

- Sei... Quase?
- É... sabe... eu tenho tara por mulheres gordinhas. Você me atraiu na hora que te vi, mas você ainda é pouco sabe? Eu gosto de mulheres OBESAS, sabe? Pode achar estranho, mas eu curto... então se você começar com papo de regime, eu termino o relacionamento na hora!
- Érr...não sei se considero um insulto ou se agradeço por não ser obesa...
- Não não, não se magoe, você ta linda, só precisa de mais uns 20 quilinhos e eu te peço em casamento, sério, PERFEITA. Anota meu telefone, meu email e me procura ok? Adorei voc
ê, vai com deus.



Cinco anos depois e 9 quilos a mais, sim, eu adicionei Kurt no Orkut. E sim, ele estava numa comunidade “Sou tarado por Gordas”. E sim, ele estava casado com uma moça morbidamente gorda.

Parabéns à todos os envolvidos, eu, ele, a mulher dele, a escada e a Pizza Hut.

15 comentários:

  1. Como dizem, o fetiche do outro é coisa estranha.

    ResponderExcluir
  2. Por essas e outras que eu nunca gostei de sair sozinho. kkk! Mas eu concordo com o que o Andarilho disse. Na verdade eu acho que as garotas gordinhas tem o seu charme e em geral sabem aproveitas mais a vida. Afinal eu acho que é melhor uma namorada que vá pra pizzaria junto com você do que uma que queira te arrastar para uma dieta a base de salada de palmito!

    ^^

    ResponderExcluir
  3. Valeu pela pizza e pela pegação na escada.

    O resto é resto.

    ;)

    ℓυηα

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Sair sozinho(a) (tb) é bom, desde q não seja sempre a única opção rs rs

    D resto, ainda bem q pra desespero dos uniformizadores d gosto, como já diziam nossas vós, daltônicos inclusos rs Vale o "o q seria do verde se todos gostassem do vermelho né mesm..."

    Viva a diversidade

    ResponderExcluir
  6. cafe, querida, adoro seus posts! sempre saía sozinha nessa fase da vida, de facul e tal; como pessoa vitaminada e crocante que sou(er, gorda né?), devo dizer q só fui pra casa sozinha se eu quis... mas garagem de shoppps tem uns pontos cegos q valem a pena! hehehehe
    beijoca, vou ali pegar um café em sua homenagem! @dra_lulu

    ResponderExcluir
  7. Existem coisas que só acontecem com nós duas.Pqp!

    ResponderExcluir
  8. É cada uma que acontece com você, ou este é o mesmo cara tarado por axilas?

    ResponderExcluir
  9. Se eu quero um blog com crônicas bem humoradas, leves e bem escritas eu nem preciso procurar muito pela internet.
    Ainda mais com essa saga de gordinhos, com a qual me identifico!

    Rs

    ResponderExcluir
  10. Do jeito que eu ando carente de um abraço, eu engordaria os vinte kilos em um dia.

    Mas essa sou eu, a que não tem confiança em si mesma.

    ResponderExcluir
  11. Pô, eu sou chegado numa "carnudinha", mas assim também já é demais! Locomia!

    ResponderExcluir
  12. ó céus, e eu pensando em perder peso!

    ResponderExcluir
  13. Ah, escrevi um artigo falando dos gordinhos tb no meu blog. kkkk
    Mas enfim, qt mais conheço as mulheres, mas eu tenho medo. =O

    =*

    (Ah, sou gordinho) :D

    ResponderExcluir
  14. As gordinhas são as melhores, ótimo post! :D

    ResponderExcluir
  15. Concerteza as gordinhas são as melhores, eu sou uma kkkkkkkkk!!!!!!!!!

    ResponderExcluir

Senta aí, aceita um café e comenta o que achou. A política dos comentários é simples: Todos aceitos salvo caso fortuito ou força maior, isto é, minha vontade. Caso prefira, temos também nosso link para CONTATO lá em cima.
;-)

Seguidores