18 de junho de 2010

Poucos leram, muitos adoram?

Morreu hoje José Saramago, escritor português, Nobel de Literatura de 1998. Também ganhou o Prémio Camões, o mais importante prémio literário da língua portuguesa. Muita gente diz que adora o estilo e os textos de Saramago e eu tenho lá minhas dúvidas se todas essas pessoas realmente leram. Não é um estilo fácil. Eu tentei terminar "O Evangelho segundo Jesus Cristo" dezenas de vezes. Demorei uns 3 anos para chegar ao fim e tenho quase certeza que pulei algumas páginas e dormi em outras. Não questiono a qualidade, não mesmo. Mas achei tudo é muito descritivo, muito detalhado, muito arrastado... Não tentei outros livros. Fiquei curiosa sobre "O ensaio sobre a cegueira" e achei melhor ver o filme. Dormi na metade do filme, foi mais forte que eu. Talvez um dia eu mude de opinião, conheço muita gente que é apaixonada por Saramago e leem seus livros de verdade. Talvez numa época que eu estiver mais descritiva, mais detalhada e mais imaginativa.

O video abaixo foi uma indicação há tempos do Marko. Ele leu por aí que eu não conseguia terminar Saramago e me enviou dizendo que "nem tudo dele é cansativo". Pois bem, é uma ótima Animação do livro infantil do Saramago. São 10minutos, quem tiver "paciência" rs, vale a pena conhecer! Outra dica é ler o blog pessoal do Saramago.



"Não sou um ateu total, todos os dias tento encontrar um sinal de Deus, mas infelizmente não o encontro."
"Se tens um coração de ferro, bom proveito. O meu, fizeram-no de carne, e sangra todo dia."
"Das habilidades que o mundo sabe, essa ainda é a que faz melhor: Dar voltas.''

5 comentários:

  1. Eu só li o Ensaio sobre a cegueira, e achei o livro muito foda.

    O Meireles cortou um monte no filme, por n motivos. Por isso, apesar de achar um filme razoável, está longe do livro.

    Só que o livro não é mesmo pra todo mundo. Primeiro que o estilo do portuga de falar sem usar pontuação é uma bosta até vc se acostumar com ela ele fala de uma tacada só e tem até uma piada de que vários portugueses morreram tentando ler Saramago porque não paravam para respirar hahahaha.

    Segundo, que o livro é hardcore, mostra muito o ladro podre (tanto fisicamente qto socialmente) do ser humano.

    ResponderExcluir
  2. Toda vez que chego ao fim de um livro dele (já li uns 6) eu me admiro e penso "nossa, como eu consegui?". Porque o coisa chata essa coisa de parágrafos hiper longos e pontuaçao estranha rs. Mas o conteúdo vale a pena, é só ter (muita) paciência.

    Pena que morreu... até os 100 poderia ter escrito mais alguns livros, mas é a vida né.

    E eu realmente fiquei "sentido".

    ResponderExcluir
  3. Eu consegui ler As Intermitências da Morte, claro que demorei HORRORES pra conseguir ler, mas consegui.

    E eu gostei pra caralho do livro e super recomendo pra quem tiver saco pra ler, porque aqueles parágrafos que duram três páginas é difícil e nem vou tentar fazer a mesma piadinha do Andarilho sobre não usar pontuação porque eu acho que se colocaram pontuação no teclado é para ser usada você não acha?

    Eu acho.

    ResponderExcluir
  4. Li o intermitências. A segunda parte é a coisa mais foda e a descrição mais foda de um amor perfeito. Chorei no final do livro. O Caim é uma chapuletada na igreja, como ele sempre fazia.
    Chorei com a morte do Saramago. Aquele velhinho doce, de falar calmo, era astuto como poucos. Os poucos escritores bons que restam estão morrendo.
    Quanto a pontuação, bom, a não utilização da pontuação não é de alegre, ela cria um sentido no texto. O Saramago usava o fluxo de consciência, e a pontuação tem um sentido diferente nesse tipo de texto, cada autor emprega de um modo diferente.
    É difícil? Talvez. Mas o livro não teria o mesmo sentido se fosse pontuado "certinho".

    ResponderExcluir

Senta aí, aceita um café e comenta o que achou. A política dos comentários é simples: Todos aceitos salvo caso fortuito ou força maior, isto é, minha vontade. Caso prefira, temos também nosso link para CONTATO lá em cima.
;-)

Seguidores