27 de agosto de 2010

A nossa rotina...




Acordar cedo nunca foi um prazer pra mim. Antes mesmo de amanhecer o despertador tocava e você levantava sempre animado para abrir a janela do quarto. Dizia um "bom dia" como se fosse para um passeio de domingo. Incrível como você era insuportavelmente bem disposto quando acordava. Aquela alegria me irritava tanto... Eu costumava ser bem mal-humorada pela manhã. Esperava você abrir aquela maldita janela para resmungar alguma coisa que você achava graça. Eu nem abria os olhos e já ouvia o chuveiro ligado. Tão calmo, fazia tudo sem preocupação com o horário enquanto eu resmungava alguma coisa entre "vai logo com essa gravata" e "engole o café". Saíamos apressados...Quer dizer, eu saía sempre apressada. 

Trabalhávamos na mesma avenida há quase 2 horas de trânsito de casa. Eu dirigia dormindo porque não confiava em você como motorista, era grosso mesmo e admitia isso. Não sei se admitia de coração ou somente pra evitar uma discussão. Aliás, você foi meu professor nisso: Evitar discussões desnecessárias. Enquanto eu dirigia você falava sem parar. Contava da sua família, dos seus sonhos, da noite passada, da noite da semana que vem, dos colegas, do guarda na esquina, do carro ao lado... E logo pela manhã eu não sou lá muito boa de conversa, acho que mal lembro o que tanto você falava. Com o tempo fui abrindo mão do apego ao meu carro e deixei você ir dirigindo para o trabalho. E eu dormia o caminho inteiro, acho que até sonhava...Você dizia que adorava me ver calma nesta hora. Pois é, eu não era nada calma naquela época. E, não conta pra ninguém mas adorava saber que você contava suas coisas pra mim. Bobagens.

O carro ficava num estacionamento onde íamos a pé para nossos respectivos trabalhos. Um beijo de bom dia e votos de coragem. Pela tarde você costumava enviar alguma mensagem de incentivo e eu respondia a altura, quando podia. Nos encontrávamos na saída, às 19h, em uma cafeteria no meio do caminho. Era a melhor hora do dia, pelo menos pra mim. Tomávamos um café, conversávamos sobre o dia inteiro, falávamos bem e mal das pessoas e ríamos pacas. Uma ou outra vez chegávamos nervosos e aquele momento era como uma terapia. E dali só saíamos quando o trânsito estivesse mais calmo e nossos ânimos também. 

Tarde da noite estávamos em casa. Muito sono, cansaço e desmaio após um beijo de bons sonhos. Até você me acordar levantando com aquela animação irritante e abrindo a janela para me ouvir resmungar. Depois de você, aprendi a valorizar estes detalhes. 

Hoje eu entendo porque tantos casais permanecem juntos pela amizade. Pode chamar de namoro, pode chamar de casamento, pode chamar de rotina... Para mim, foi a melhor e mais verdadeira amizade de toda a minha vida. E por isso foi tão difícil te magoar no final. Não era justo essa troca. Terminar um amor falido, um romance cansado, um casamento ferido é muito mais fácil do que terminar um relacionamento com o seu companheiro, terminar para sempre um amor com o seu melhor amigo.

9 comentários:

  1. Na boa, no fim, tudo vira rotina. A não ser que a gente viva terminando e recomeçando. Mas isso vai de encontro ao pensamento de conto de fadas, de final feliz...

    ResponderExcluir
  2. Eu já disse que sou sua fã né?

    Tb já disse que vc é foda demais quando resolve colocar no papel sentimentos que muitas vezes são difíceis de admitirmos para nós mesmos?

    Pois é...foda demais!

    ResponderExcluir
  3. Na média nos relacionamentos heteros nós Homens somos + acomodados mesmo.
    Qdo, c/1 mulher achamos q acertamos o ponto d equilíbrio, independente ( na maioria das vezes ) do q esteja rolando fora da relação, se a Mulher estiver descontente mas não der 1 basta, o lance vai até q a morte os separe literalmente. Fato.

    ResponderExcluir
  4. Putz todo os dias eu acordo animado, falando, pulando e fazendo piruetas...

    ResponderExcluir
  5. Sempre que me deparo com um texto desses aqui no Bebendo eu me pergunto? Pq ainda não comprei o livro dela?

    obs: no rodapé do post cliquei em "chorei", mas foi quase...

    ResponderExcluir
  6. Esse texto me puxou para a realidade sem pedir licença. Chorei. Chorei mesmo!

    Me fez pensar em todos os pequenos detalhes sublimes do meu dia que eu trato com tanto descaso...

    Parabéns!
    Hugs ^^'

    ResponderExcluir
  7. aff amigos... como é bom ler comentários de identificação e incentivo... motivação é uma gasolina aditivada pra alma mesmo, obrigada ;-)

    ResponderExcluir
  8. É aquela famosa frase: "A gente só dá valor depois que perde". Mas acho que não precisa ser assim. O ser humano tende a ser muito exigente e reclamão, nada tá bom, sempre falta alguma coisa. Acho que a melhor forma de tentar mudar isso, é reparar nos pequenos detalhes que nos fazem feliz: Como um bom dia, um "eu te amo", um presentinho fora de hora, um abraço, um sorriso, uma música, e assim vai... existem muitas coisas que podemos aproveitar, basta querer!!

    ResponderExcluir
  9. A parte boa destas relações é aprender com elas tudo o que dá para se aprender.
    Reclamamos sempre da rotina, mas o que a gente deveria avaliar é com quem estamos em rotina. Claro que é bom variar, mudar os ares, buscar coisas novas, mas não dá para se levar uma vida inteira como um caleidoscópio. Alguns padrões precisam se repetir, é bom criar rituais.
    Principalmente a dois.

    ResponderExcluir

Senta aí, aceita um café e comenta o que achou. A política dos comentários é simples: Todos aceitos salvo caso fortuito ou força maior, isto é, minha vontade. Caso prefira, temos também nosso link para CONTATO lá em cima.
;-)

Seguidores