23 de setembro de 2010

Conheça melhor: Tiririca



Cyperus rotundus, mais conhecida como tiririca, junça ou barba de bode, é uma planta pequena, de rápido desenvolvimento. Os tubérculos são produzidos nos rizomas e, quando brotam, uma ou mais gemas começam a crescer, produzindo novas plantas com mais tubérculos, garantindo a reprodução e a disseminação da tiririca. tiririca está presente no mundo todo, principalmente em países tropicais e subtropicais, onde encontra condições ideais para o seu desenvolvimento. É uma erva daninha de difícil controle no campo, quer seja por controle mecânico (capinas) ou mesmo por herbicidas. A tiririca se dissemina através de aplicação de matéria orgânica contaminada; máquinas e implementos agrícolas com tubérculos aderidos; mudas contaminadas; touceiras de grama; enxurradas, sulcos e canais de irrigação.


PREJUÍZOS: A tiririca reduz a produção agrícola em 40 por cento, em média, podendo chegar a 90 por cento, no caso de hortaliças. As técnicas de manejo da tiririca baseiam-se na inibição da formação de novos tubérculos e/ou da brotação destes, e podem ser: prevenção, controle e erradicação.

EVITAR A DISSEMINAÇÃO É SEMPRE O MELHOR REMÉDIO!

Prevenção: A prevenção consiste em evitar-se a introdução de plantas ou qualquer propágulo de tiririca em áreas não infestadas, exercendo-se um rígido controle de qualidade das sementes certificadas.
Controle: Esta técnica, que deve ser contínua, é composta pelas seguintes fases: diagnose do problema, avaliação da adequabilidade e seleção dos métodos disponíveis e específicos ao problema e execução do controle propriamente dito.
Método mecânico: consiste na eliminação temporária da tiririca, através do preparo do solo, da capina e de cultivo de espécies antagônicas. São necessários pelo menos dois anos de cultivos quinzenais para reduzir a população da erva daninha aos níveis satisfatórios para o manejo, e ao final do ciclo da cultura, deve-se efetuar a aplicação de herbicidas nas áreas que apresentarem plantas remanescentes de tiririca.
Método químico: é considerado um dos mais eficientes métodos de controle, embora vários herbicidas de diferentes grupos químicos tenham apresentado resultados insatisfatórios no controle da planta, devido principalmente à baixa taxa de absorção e translocação dos produtos. Os herbicidas pré-emergência devem ser seletivos para as culturas, como por exemplo o EPTC, o alaclor e o metolachlor. Os herbicidas de pós-emergência, como o 2,4 D; e os dessecantes, como o Glyphosate; devem ser aplicados nas primeiras semanas após a emergência da tiririca.
Erradicação: Esta técnica visa à eliminação de todas as partes da plantas daninha da área, incluindo a destruição de sementes, rizomas, raízes tuberosas e tubérculos. Utiliza-se esta técnica em pequenas áreas.

"PREVENIR É SEMPRE A MELHOR OPÇÃO!" 



3 comentários:

Senta aí, aceita um café e comenta o que achou. A política dos comentários é simples: Todos aceitos salvo caso fortuito ou força maior, isto é, minha vontade. Caso prefira, temos também nosso link para CONTATO lá em cima.
;-)

Seguidores